Prefeituráveis disputarão cargo de 2 anos em Cajamar

Termina dia 15 de fevereiro, às 19h, o prazo para que os interessados em disputar a Prefeitura de Cajamar registrem suas candidaturas no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP). O TRE publicou no último dia 21 de janeiro uma resolução determinando eleições suplementares para o dia 17 de março. Segundo o documento, as convenções destinadas a deliberar sobre a escolha dos candidatos a prefeito e a vice-prefeito e a formação de coligações serão realizadas no período de 7 a 12 de fevereiro.

A campanha eleitoral deverá começar logo após o registro das candidaturas, no dia 16 fevereiro, e deverá terminar três dias antes do pleito, no dia 14 de março. A data da diplomação do prefeito e do vice-prefeito eleitos será fixada em ato próprio pelo Juiz Eleitoral, obedecendo o prazo limite de 22 de abril.

Atualmente, o presidente da Câmara de Cajamar, vereador Saulo Rodrigues (PSD), é o prefeito interino da cidade. Até o fim de 2018, o cargo fora ocupado pelo presidente anterior, o vereador Eurico Missé (DEM). Os chefes do Legislativo passaram a comandar a cidade depois que a chapa da prefeita Paula Ribas (PSB) e sua vice Dalete de Oliveira (PCdoB), eleita no pleito de 2016, foi cassada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em novembro.

A própria Dalete passou quase um ano como prefeita quando a Justiça tirou Ribas do cargo por conta de um processo criminal que corre em segredo judicial. Em paralelo, corria um processo eleitoral contra a chapa por prática de abuso de poder político e econômico nas eleições de 2016.

O tribunal considerou que Paula Ribas e sua vice Dalete se beneficiaram de obras de pavimentação e recapeamento de dezenas de ruas do município nos meses que antecederam as eleições com claro objetivo de influenciar o resultado do pleito e desequilibrar a disputa eleitoral.

A Justiça Eleitoral de São Paulo assinalou ainda que a prefeita aproveitou-se das obras para realizar propaganda massiva em favor de sua chapa por meio de redes sociais e do jornal do Partido Socialista Brasileiro (PSB), que distribuiu 10 mil exemplares em um município com 57 mil eleitores, o que teria alcançado quase 20% do eleitorado local. Em decisão unânime, o TSE manteve ambas inelegíveis por oito anos e determinou a execução imediata da decisão logo após ser publicada.

DANÇA DAS CADEIRAS: Saulo, o atual prefeito interino de Cajamar, é a 13ª pessoa a chefiar a cidade nos últimos seis anos. Desde 2013, o troca-troca já fez até com que a procuradora do município assumisse o comando da cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *