Rede Elétrica: Enel dá dicas de segurança para as férias

Durante as férias escolares, crianças e adolescentes costumam dedicar mais tempo a passatempos, passeios e viagens. Para que essas atividades transcorram em segurança, são necessárias algumas precauções.

Com objetivo de conscientizar a população quanto aos cuidados com a rede elétrica, a Enel Distribuição São Paulo dá dicas que podem evitar acidentes e até salvar vidas:

1 – Ao viajar, desligue os aparelhos elétricos e eletrônicos das tomadas. Esse cuidado, além de economizar energia, evita acidentes, pois esses aparelhos podem entrar em curto e causar incêndio caso haja alguma alteração na rede elétrica provocada, por exemplo, por raios;

2 – Nas brincadeiras ao ar livre, é importante manter as crianças afastadas da rede elétrica. Não permita que elas subam ou apanhem frutas em árvores que estejam próximas à fiação;

3 – Em espaços fechados, como garagens, playgrounds ou até mesmo dentro de casa, evite deixar fios e extensões expostos e mantenha tomadas inativas cobertas e isoladas. As instalações elétricas devem estar em bom estado. Não use fios emendados, velhos ou danificados;

4 – Ainda em relação às recreações ao ar livre, tradicionalmente, empinar pipas é um dos passatempos mais praticados por crianças e jovens durante o período de recesso escolar. Entretanto, pipas e rede elétrica são uma combinação perigosa. A brincadeira, quando não leva em consideração a segurança, pode ocasionar desligamentos na rede de energia e causar acidentes graves, queimaduras e até morte. Para afastar esses riscos da brincadeira, oriente as crianças a empinar pipas em espaços abertos e afastados das fiações, como campos, parques ou praças;

5 – Caso a pipa se enrosque em postes ou antenas, oriente os jovens a nunca arremessar objetos nos fios e não tentar resgatá-los com barras de ferro, pedaços de madeira ou qualquer outro utensílio, condutor de energia ou não.

6 – Materiais metálicos também não devem ser utilizados na fabricação deste brinquedo, pois conduzem eletricidade, aumentando a chance de choque elétrico, podendo causar até a morte de uma pessoa.

7 – O uso da chamada linha chilena, que possui poder de corte quatro vezes maior que o cerol tradicionalmente usado nas pipas, tem agravado ainda mais a situação. O risco de acidentes fatais é alto para pedestres e motociclistas e os danos à rede elétrica também são maiores.

8 – O uso de cerol (pó de vidro com cola) oferece mais um risco: ele corta a camada de borracha que reveste os fios de alumínio ou de cobre, criando a situação de transferência de corrente elétrica. Além disso, o uso de cerol também pode provocar acidentes com motociclistas.

9 – A população não deve tentar mexer em qualquer componente da rede elétrica, como a fiação aérea, por exemplo. Somente técnicos da distribuidora, treinados para este trabalho que exige o uso de equipamentos de segurança, estão aptos a manusear a rede elétrica.

10 – Além das pipas, é preciso redobrar a atenção com os balões. Eles respondem por muitos acidentes na rede elétrica já que podem cair acessos em florestas, residências e indústrias e até oferecer perigo à aviação. O que antes era considerado uma brincadeira, hoje é crime. De acordo com a nova Lei de Crimes Ambientais, Lei Nº 9.605, de fevereiro de 1998, não somente soltar balões agora é crime, como também fabricar, vender ou transportar. A pena prevista é de um a três anos de detenção ou multa, ou ambas as penas cumulativamente.